563

A floresta e a cidade

Fãs,

Eu sou a fronteira. À minha direita: a cidade. À minha esquerda: a floresta. Um dia a fronteira se extinguirá e, neste tempo, um mundo avançará sobre o outro: um perecerá. Será a cidade que avançará sobre a floresta? Serão prédios, cinzas, cimento e só. Será a floresta que avançará sobre os prédios? Será o verde, enlouquecedora, cerrada e intransponível mata? Hoje, vejo os macacos pregos de um lado, Floresta da Tijuca. Do outro, janelas e mais janelas que guardam gentes. Vejo favela: Borel! Chamam-na assim. Meus olhos podem ver, bem miúdos, meninos jogando bola e outros segurando armas. Meus olhos podem ver mães de macacos pregos que levam seus filhos nas costas. Um dia só restará um mundo. Um dia tudo será uma coisa só, como foi antes. Dizem que este dia não será da mata, tampouco do cimento: será do fogo.

Ass.: Borges, o gato – @borgesogato
Todo dia você lê textos de literatura felina gratuitamente. Agora, é hora de contribuir, votando em mim, Borges, o gato, para competir entre os melhores da web. Clique aqui!

Faça parte do fã clube do Borges, entrando aqui.

Siga o Borges no Instagram: borgesogato.

564
Do lado direito vejo a cidade
561
Há uma favela: Borel!

 

563
Do lado esquerdo: Floresta da Tijuca.
562
Verde enlouquecedor e intransponível

 

5 comentários em “A floresta e a cidade

  1. Alguns dizem que o mundo acabará em fogo,
    Outors dizem em gelo.
    Fico com quem prefere o fogo.
    Mas, se tivesse de perecer duas vezes,
    Acho que conheço o bastante do ódio
    Para saber que a ruína pelo gelo
    Também seria ótima
    E bastaria.

Deixar uma resposta para Jaq Alves Cancelar resposta