950

A gata pulga

Fãs,

Pessoa deveria se chamar pulga. Nunca tive pulga, mas imagino que seja assim. Ela não larga de mim. Quero andar, tá presa na pata. Quero comer, tá presa na cara. Pessoa sempre diz: “Você parece taaaaanto minha mamãe, Borginho!” Pra quem não sabe, Pessoa teve uma mãe de leite branca como eu. Às vezes parece que sou mãe de um canguru, carrego Pessoa na Bolsa. Pessoa me rouba pelinhos, vive toda cheia de branco: “Borginho, quero ficar igual a você quando ficar grande e velho”. Pessoa mal sabe que eu tenho só três anos, acha que sou um ancião. Pessoa, tão pequena, qualquer dia se perde em meus pelos e vai ser difícil de achar essa gata-pulga. Eu, também, já me perdi nela, perdi minha ordem, meu sono, meu descanso, vai ser difícil me achar, pois já somos uma coisa só, ninguém sabe onde começa um e termina o outro.

Ass.: Borges, o gato – @borgesogato

 

950

951

5 comentários em “A gata pulga

Deixar uma resposta para Jaqueline Cancelar resposta