702

A gata solitária e os matadores que andam pelas casas

Olá, amiguinhos. Sou eu, a Christinha de novo? Como vão? Comigo agora tudo bem.

Hoje, ouvi a campainha, de imediato dei aquela escondidinha de segurança e o Borges se enfiou no armário. Quando papai abriu a porta, entrou um homem uniformizado com uma arma na mão. Ele entrou atirando e matando a todos. Eu logo me escondi, o cheiro da morte era horrível. Foram caindo um por um, os insetinhos que ficavam presos no teto da área, me juntei ao Borginho dentro do armário: “Borginho, é um matador de bichos e nosso pai é cúmplice!” A casa cada vez fedia mais e nós tremíamos mais. Até que a porta de nosso armário abriu, corremos pra cima do assassino e fugimos por debaixo das suas pernas. Ele continuou no quarto a disparar. Depois se foi, acho que cansado de nos procurar e de tanto ceifar vidas. Imediatamente fui atrás do meu pai: “Como o senhor permite isso, pai?” Ele me explicou que era um dedetizador e que o veneno era inofensivo aos gatinhos, matava apenas as traças que tinham se espalhado pela casa. Como temos muitos livros, é importante cuidar deles, pois elas gostavam de devorar os livros sozinhas e não deixar nada pra gente. Eu entendi. Agora estou aqui na janela, sozinha, dando graças a Deus que nunca comi um livro do papai, pois ele é impiedoso. Já o Borginho, continua até agora dentro do forro do sofá. Acho que ele já deve ter comida alguma página.

Ass.: A gata Christie

701

702

3 comentários em “A gata solitária e os matadores que andam pelas casas

  1. Chris que chacina!!!!
    Tadinho do Borges, mas papai não vai mandar dedetizar ele, tenho certeza!

    Lambeijos!

Deixar um comentário