A quixotização e sanchização do Borges

Fãs,

Lá pelo capítulo 10 do livro 2 de Cervantes, Sancho Pança e Dom Quixote trocam de papéis: Sancho, de lucidez passa à loucura. Quixote, de loucura, passa à lucidez. Lendo este livro hoje, lembrei de mim e de minha irmã. Eu, líder e cavaleiro desta empreitada felina pelo mundo, deste combate aos gigantes, sou também sanchizado pela minha razão, sou a lucidez desta relação. Christie, a Sancho, baixinha e engraçada, é quixotizada em sua loucura, a voz da paixão e que luta contra moinhos de vento. Séculos passaram e o mundo mudou, somos a melhor forma de Quixote e Sancho, uma forma felina e que não faz guerra em outro lugar que não seja o sonho.

Ass.: Borges, o gato – @borgesogato

Eu, o Quixote sanchizado, a expressão mais racional da loucura, o bater de coração no cérebro. Ao meu lado: Don Quijote de la Mancha.

7 comentários em “A quixotização e sanchização do Borges

  1. Que lindo, Borges!
    Que elegante que vc está na foto…
    Um pouco sério, concordo com a Karina.
    Gostei de ver as fotos dos seus pais ao fundo.
    Beijinhos!

Deixar um comentário