grudadinhos

Ainda frio

Humanos,

Que faça frio, pois nos grudamos. Trocamos patas, nos perdemos um no outro, nos embolamos. Que faça cada dia mais frio, até sermos um gato só, de doze patas, os três em um, como aqueles anúncios de xampu. Que faça frio pra sempre, pois guardamos um sol no estômago. E que sejamos a coberta um do outro, o abrigo e que as noites sejam cantoria ao redor da fogueira, ainda que sem fogueira, mas cantaremos para a lua que sequer vemos, coberta pelas nuvens, mas que sabemos que ela está lá, ao lado de Deus, frio.

Borges, o gato.

 

grudadinhos

1 comentário em “Ainda frio

Deixar um comentário