congresso

Aproximar-se do Congresso Nacional causa mais toxolasmose do que cocô de gato

Gatos são conhecidos por serem hospedeiros do parasita que causa a doença toxoplasmose e, geralmente, levam a culpa por sua disseminação, apesar de não serem seus principais transmissores. O consumo de carne mal passada é apontado por especialistas como a maior fonte de contaminação para a doença, entretanto, o aumento de casos em Brasília, especificamente no Plano Piloto, despertou o interesse de pesquisadores que fizeram uma força-tarefa para investigar o fenômeno. Os cientistas identificaram um grande polo de contaminação nas instalações do Congresso Nacional.

A sujeira que circula nas salas do congresso é tanta que deixa mau cheiro nos corredores e é necessário tomar cuidado com onde se pisa, ao circular pelo local. É necessário ter especial atenção e usar equipamento de proteção individual ao entrar na sala em que ocorrem as reuniões da comissão de ética onde é votada a cassação do mandato de Eduardo Cunha e à sala na qual se reune a comissão de impeachment. Ironicamente, o ponto mais asséptico da construção é o plenário da câmara, pois é o local menos frequentado pelos congressistas. “O congresso é muito mais sujo que caixinha de areia de gatos”, afirma  Geisa Rotta, pesquisadora responsável pela força-tarefa.

Gatos e fatos, uma produção de Borges, o gato

5 comentários em “Aproximar-se do Congresso Nacional causa mais toxolasmose do que cocô de gato

Deixar uma resposta para Beatriz Sauerweing Cancelar resposta