490

As Duas Caras da Noite

Olá, amiguinhos. Tudo bom? Sou eu de novo, a Christie!

Muitas vezes antes de dormir, peço para o papai ler uma historinha para mim. Papai gosta de livrinhos empoeiradas e de páginas amarelas. Noite passada, eu estava deitadinha no chão, papai estava se preparando para deitar.

– Christinha, fecha os olhinhos pra dormir, já tá tarde.

– Ah, não quero não, pai. Tô com medo.

– Fecha, filha, tá na hora. Não tem do que ter medo.

– Lê uma historinha pra mim?

Papai foi até a gaveta da cômoda, tirou um casaco, embaixo dele tinha uma pasta, dentro da pasta havia vários papéis, entre os papéis tinha um envelope, dentro do envelope, um livro.

– Trago sempre comigo este livro, filha. Foi o primeiro livro que li.

O nome do livro era As Duas Caras da Noite de uma tia chamada Lúcia Pimentel Goés. Papai lia com voz de contador de histórias e eu podia ver com a imaginação as coisas que eram faladas. “A noite do medo tem muito pesadelo, você chora de medo, fica acordado. Na noite bonita, o pesadelo vira sonho cor-de-rosa. Você ri e sorri o tempo todo, dormindo.”

Papai leu o livro todo e eu continuei acordada.

– Filha, vai dormir, você está em uma noite do medo?

– Não, papai, agora estou numa noite bonita, tão bonita que quero ficar acordada para aproveitar.

Ass.: A gata Christie.

490
Euzinha: entre a noite do medo e a noite bonita.

 

6 comentários em “As Duas Caras da Noite

  1. Christie,
    Seu pai tem uma paciêêêêêêêêêência com vc…….
    Vc e o Borginho são privilegiados por serem tão amados!
    Sua linda!
    😉

  2. Awnnn… Christie, como vc é fofa e linda!!! Sabe, perto de vc e do Borginho, qualquer noite fica bonita… nem tem espaço pro medo… <3

Deixar uma resposta para Ethel Marchezini Cancelar resposta