178

Autocarícias

Olá, amiguinhos! Tudo bem? Sou eu, a Christinha. hihihi Papai e mamãe têm andado muuuuito ausentes, só querem saber de trabalhar até tarde. Borginho e eu ficamos sozinhos aqui no quarto e quando dá aquela vontade de ganhar cafuné, às vezes eu faço nele, às vezes ele faz em mim. Mas o fato é que o cafuné do Borginho não é gostosinho igual ao cafuné da mamãe e do papai. Então, desenvolvi a autocarícia que funciona da seguinte forma: euzinha vou até a grade da varanda e me arrasto dando cafuné em mim mesma. Sou capaz de ficar a tarde inteira ali arrastando meu focinho e imaginando a mãozinha da mamãe ou do papai. Quando esfrego mais fraquinho a fuça na madeira, imagino: “ai, é a mão da mamãe!” Quando esfrego mais forte, imagino: “É a mão do papai.” Tenho gostado tanto das autocarícias que outro dia mamãe e papai chegaram do trabalho e nem fui lhes receber. Eles ficaram com ciúmes e ficaram me chamando: “Christinhaaaaaaa, largue esse pedaço de madeira e vem com a gente.” E eu falei: “Então amanhã vocês me dão cafuné e mandam essa madeira ir trabalhar no lugar de vocês.” Ass.: A gata Christie

179
Me dando autocarícias

 

178
Posando ao lado do meu massageador. hihihi

9 comentários em “Autocarícias

  1. Meus sonho de consumo, Christie…
    Ser auto suficiente em tudo!!!
    Enquanto não sou, vou aprendendo com vcs…
    Sua linda!!!
    🙂

Deixar um comentário