beijo-cremosa

Beijo cremoso

Humanos,

Há uma vontade de engolir Cremosa, fazê-la escorregar pra dentro da garganta, mas não sem antes babá-la. Ela é tão pequena, tão frágil como um petisco no prato. É tão boa como um filé. Cremosa é cremosa, escorregadia, foge rápido, mas Chico é goleiro de várzea, sabe catar em condições difíceis. Agarra-a, inescapável e beija as costelinhas que se tocam fazendo música, costelinhas cobertas por um lençol peludo. Chico tira o rosto, boca cheia de pelos, bigode, parece um senhor. Um beijo é assim: amadurece.

Borges, o gato

beijo-cremosa

2 comentários em “Beijo cremoso

Deixar um comentário