borgespergunta

Borges Pergunta 39 – Relacionamento entre gatos

borgespergunta

Olá, fãs! Como vão?

Um dos problemas que mais tenho recebido no divã é: briga entre gatos. A fã adota um gato, depois adota outro e eles vivem eternamente brigando. Queria saber se essa realidade atinge muitos fãs. Então, se você tem mais de um gato, responda esta enquete e participe contando sua história nos comentários. Lambeijos!

Ass.: Borges, o gato – @borgesogato

9 comentários em “Borges Pergunta 39 – Relacionamento entre gatos

  1. Borginho,
    Na primeira semana, talvez 10 dias, eu quase enlouqueci!!! Até chorei!!! kkk
    Depois o CH começou a aceitar a MC.
    Hoje são amigos. Tem hora que o CH quer perseguir a MC com cara de doido, tem hora que o CH despreza a MC completamente e tem hora que ele começa a dar umas lambidas nela fazendo carinho…
    Enfim, deu tudo certo!!!
    🙂

  2. Olha, minha história começa com duas gemeas sialatas que se amavam, porém uma delas sofreu um atentado e acabou morrendo… a que ficou sozinha ganhou dois novos irmãozinhos pretinhos, que lógico, se amavam e se protegiam entre si, mas a sialatinha não gostou muito deles não, ela é até hoje a femea alfa da casa, demorou quase um mês para aceitá-los, hoje até dá banho no gatão e dorme junto com ambos…depois veio o BB sialatinha que apareceu do nada, então ninguém gostou muito da ideia, só o gatão que se aproximou, cheirou e tentou amizade, mas o BB é muito manhoso com pessoas e nem dá muita bola pros gatos, as meninas não gostaram dele não, a alfa vivia correndo atrás pra bater nele, ganhei até um Feliway da veterinária pra tentar acalmá-la…passado um mês começaram ao menos a brincar e se respeitar mais, porém até agora não vi banho nem soneca coletiva com ele no meio, parece que os 3 se reunem no sofá pra falar mal do novato, ehehehe… e este por sua vez vive atrás de mim, até no banheiro, é um chicletoso…. Mas ninguém briga mais, até brincam…adoro minha família gato!

  3. eles não brigam, mas se estranham , apesar de serem mãe e filhos… a mamãe não deixa os filhinhos chegarem perto dela rsrsr, já os irmãos são unidos!

  4. Borginho, aqui em casa tenho 2 fêmeas e 1 macho. A mais velha tem mais ou menos 5 anos, o macho é um pouco mais novo que ela, está com uns 3 anos. Ela não gostou nada da idéia e durante umas 2 semanas ficou de bico, só fazendo fuuuuu para ele, mas acabou aceitando e cuidando como se fosse seu filhote. A mais nova veio no começo desse ano, o macho a aceitou quase que instantaneamente, já a mais velha demorou uns 2 meses para aceitar e só hoje, quase depois de 1 ano, conseguimos ver as duas se dando banho e dormindo juntas.

  5. Eu tenho 2, um macho e uma fêmea. Quando o machinho chegou a feminha já tinha 3 anos. E tinha uma outra gatona de 11 anos. Minha mãe o apresentou para elas. A mais nova fez fuuuu e a mais velha nem ligou, e essa foi a gata mais sacana que já conheci, mas com ele parece que ela pensou que podia se aposentar, pois exatamente 15 dias depois ela virou estrelinha. Os que ficaram nunca foram muito chegados, às vezes se cheiram, até chegam a brincar um pouco, mas geralmente cada um cuida da sua vida. Hj, estão com 10 e 7 anos, e o machinho é que é o mais disposto a ser amigo.

  6. Quando Miguel chegou, minha gatinha mais velha estava deprimida, sentindo falta da irmã que morreu.Estava totalmente apática. No início ela estranhou um pouco,fez alguns fuzzzzz,mas se acostumou muito rápido com ele.Ela só não interage muito com ele,dá uma ignorada básica rsrsrsrsrs Mas ele é tão fofo com ela, deita pertinho,dá lambeijos na cabecinha dela e quando percebe que não esta agradando, ele tira o time de campo rsrs Ele sabe respeitar os limites dela.
    Então por aqui, reina a paz!!!!!

  7. Minha casa é abençoada com a presença de quatro gatos. Começou com duas gêmeas abandonadas no portão que nunca se estranharam. Depois chegou um siamês (menininho) que ficou isolado no quarto por um mês, saía apenas sob a vigilância minha e do meu marido, para aos poucos, as meninas se acostumarem com ele. elas não o aceitavam a princípio, mas acabaram se dando bem. Depois chegou uma gatinha, mas tão carismática, que precisou desse ritual do quarto por apenas uma semana. E por fim, meu caçula, repetimos o mesmo processo do siamês, e hoje ele brinca com todos, mas é o único que consegue encher a paciência dos outros, que de vez em quando fazem um “fuuuzzz” pra ele. Mas briga, briga mesmo, não rola aqui em casa, não. (Em tempo: uma das gêmeas do portão virou estrelinha esse ano, por isso, na contagem dá 5 felinos, mas infelizmente estamos com 4).

  8. Agora não brigam mas assim que o Jhonny chegou foi muito sofrimento.Eu chorava, achava que o Diego nunca mais seria feliz e sobrou até para mim que fiquei entre uma brigada deles e sai toda sangrando, depois desse acontecimento em uma semana tudo se resolveu e hj em dia o Jhonny é o gato mais receptivo da casa, em relação a outros gatos..

Deixar uma resposta para Paola Cancelar resposta