caça

Dica de Cuidado 16 – O instinto da caça com a tia Vivian

dica_de_cuidado_titulo

Olá, fãs. Tudo bom?

Hoje a tia Vivian vem aqui falar de nossa arte de caçar. hehe. Espero que possam prestar atenção para tomar alguns cuidados quanto à saúde dos gatinhos de vocês.

Ass: Borges, o gato

——————

vivianOlá, fãs do Borges e da Christie. Tudo bom? Hoje vamos conversar um pouco sobre esse instinto de caça e os riscos envolvidos no processo.

O gato foi domesticado há 9.500 anos atrás porém mantêm alguns comportamentos dos seus ancestrais selvagens, como por exemplo a marcação e disputa de territórios e o instinto da caça.
 Este hábito de caçar é natural e extremamente prazeroso para o gato, É praticamente um ritual, composto pelas seguintes fases:
– Concentração
– Aproximação
– Utilização de barreiras visuais para evitar ao máximo ser percebido
– Momento certo do bote
– Brincar com a presa para treinar este instinto de caça
    As presas favoritas são: borboletas, mariposas, mosquitos, lagartixas, sapos, grilos, gafanhotos, pássaros, ratos, nossas canelas durante a madrugada (rs), entre outros pequenos insetos. Dentre os brinquedos não vivos, destacam-se os ventiladores, ratinhos de brinquedo, bolinhas, fios e penas.
Vamos agora falar sobre os riscos:
– Cuidado com objetos como sacos plásticos, pontiagudos, hélice de ventiladores e materiais pequenos demais que podem ser deglutidos;
– Lagartixas e sapos contaminados podem transmitir uma verminose que se instala no fígado e vesícula biliar desses animais. A doença pode levar a vômito, diarreia  prostação, perda de peso e a pele pode ficar amarelada (icterícia). Há tratamento e o controle da doença é difícil, pois não há como impedir a caça nem exterminar lagartixas e sapos (que também possuem papel importante no controle de insetos do ambiente);
– Não esquecer de telar o apartamento pois como já foi discutido anteriormente no tópico da síndrome do gato paraquedista, ele vai olhar pela janela e achar que pode pegar aquele pombo/pássaro que está no térreo, sofrendo graves lesões.
– Ratos, baratas e insetos só constituem um risco caso estejam com veneno (aerosol, chumbinho,…)
E pra finalizar: Não faça cara feia quando seu gato colocar uma presa de caça em cima da sua cama. Interprete como um lindo presente que ele conseguiu (às vezes com muitooo custo, rs), pra você.
Beijos e até o próximo encontro!

caça caça2
Vivian Lage de Oliveira
CRMV-RJ 10858
Especializcação em Clínica Médica de Pequenos Animais
Formada pela UFF
Pet Paradiso: 3ªs, 6ªs e Sábados
Rua Barão de Mesquita, 359
2234-7775 ou 2574-9589

2 comentários em “Dica de Cuidado 16 – O instinto da caça com a tia Vivian

  1. Poxa esse brinquedinho faz mesmo um sucesso, aqui em casa a disputa é feia..hahah

    Mas tia Vivian tem algum problema em relação aos calangos, eles podem trazer alguma doença para os nossos bichanos?? É que de vez em quando eu os ajudo a caçar os pobres calangos!

    Beijos!!

  2. Nossa! Mesmo sendo telado pode aparecer lagartixas…fiquei com medo agora! Não sabia que podiam transmitir doenças. Como sempre ótimas dicas!

Deixar um comentário