Escrevendo pra fora 2

Fãs,

Se vocês não conhecem, devem conhecer agora a ONG Adote Um Gatinho http://adoteumgatinho.uol.com.br as tias são chiques, já foram no Jô (http://www.youtube.com/watch?v=K-sCPea8JVQ), já apareceram no Jornal da Band (http://www.band.com.br/jornaldaband/videos.asp?v=7345f3b743c6d6f8a5c5012e62f7a1f7) e têm um livro que já li (http://borgesogato.com/2012/01/18/um-gato-sortudo/)

Fiquei muito honrado, pois me chamaram pra escrever um texto pra Fanpage delas e já teve muuuuitos curtir e compartilhar. Leia aqui: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10151055320551314&set=a.134700271313.118739.130323036313&type=1&theater

Dentre os comentários, muita gente elogiando, aplaudindo, vibrando… mas o que achei mais sensacional, com todo respeito aos fãs, foi esse aqui que uma tia que não conheço, chamada Andreia, fez ao compartilhar.


Primeiro que a tia Tábata diz que sou muito magrinho (poxa, era minha foto de criança, gente)! Depois a própria Andreia explica que estou pra adoção e que estou fazendo graça pra ser adotado, MARKETING PESSOAL. hahahaha. Épico! Ri muito aqui junto com mamãe, papai e Christie. Amei essas tias.

Se você não tem Face, vou colar o texto abaixo para vocês poderem ler na íntegra.

Lambeijos

A gatidade

Fãs e novos leitores,

Confesso: tenho um sério problema com a palavra humanidade. Tá bom, assumo, muito provavelmente isso acontece porque sou um gato e não existe a palavra gatidade. Mas é que a palavra humanidade e seus derivados têm uma arroganciazinha por trás dela. As pessoas dizem: “precisamos ser mais humanos” como se fosse um sinônimo de “precisamos ser melhores.” Ninguém diz: “precisamos ser mais gatos” ou “mais macacos” ou “mais pernilongos”. Um humanista é sinônimo de algo muito bom, alguém que quer o bem. Mas onde estão os gatistas, os cachorristas, os coelhistas e os porquistas? Por que entre infinitas espécies as pessoas querem construir um mundo onde o ser humano é o centro?

Tenho a certeza que quando olham pra nós, os humanos pensam com amor e inveja. E se alguns têm ódio, nada mais é que fruto dessa inveja. Nós gatos temos mais que um simples modo de viver, temos uma filosofia: comemos, dormimos, corremos, desfilamos, há beleza em tudo que fazemos, nosso andar é bonito, nosso olhar é bonito, nosso sono é bonito. E não temos pressa, não precisamos trabalhar, brincamos com a caça e tomamos banho com a própria língua. Então, muitos humanos, com inveja, inventaram histórias e mitos assustadores sobre nós.

Nossa relação com os humanos é tão diferente que, de nós, derivam ofensas e elogios. Se em português é ruim ser um gatuno, é muito bom ser uma gatinha. Num passado distante e com cheiro de múmia, vários humanos nos viam como deuses. Para que ficassem sozinhos no centro do mundo, começaram a falar que somos infiéis, que damos azar, que transmitimos doenças. Mas quem trai, destrói e causa guerras com milhares de mortos, não somos nós, né? Quem tem um gatinho ao seu lado sabe o quanto somos carinhosos e adoramos nos enroscar no colo, sabe o quanto enchemos a casa de sorte e sabe, também, que o que transmitimos de verdade é alegria.

Por isto, hoje, quero oficializar a palavra gatidade e quero que gatuno passe a ser uma palavra lotada de sentidos bons. Que a humanidade tenha mais gatidade e que os humanistas sejam mais gatunos. Que todas as pessoas passem a valorizar o sono, a hora de comer, de se espreguiçar e andem com calma e de forma mansa como se pisassem com almofadas. Que todo o preconceito com os gatos seja coisa de um passado distante e assustador que não existirá mais, a não ser nos livros antigos e de terror que toda a gatidade lerá de noite, em volta da fogueira, ao lado dos humanos, mas só para se distrair, pois na verdade se amarão, assim como se amarão todas as criaturas num mundo feliz pintado com cores de sonho.

Ass.: Borges, o gato

 

7 comentários em “Escrevendo pra fora 2

  1. Eu sou super fã do Adote um Gatinho, tanto que o meu gato Juca foi adotado lá. Amei seu texto! Se pudesse curtiria mil vezes. Sabe que nunca tinha parado pra pensar na termo “humanizar”? Achei o máximo a sua colocação. Precisamos de Gatidade, com certeza! Beijos da tia

  2. Ahhh que texto maravilhoso Borges.
    Precisamos ser mais gatos!

    Agora os comentários da sua “magreza” e “adoção” ri muito. Imagina só Borges, o gato querendo ser adotado…kkkkkkkk ai ai

Deixar um comentário