964

Gata policial

Fãs,

Sempre exaltei o fato de não existir gatos de guarda. Cachorros podem ser feitos para a guerra, gatos jamais. Gatos deixariam o ladrão roubar a casa, jamais atacariam um infrator, gatos são incapazes de matar. Os gatos preferem o sono, são pacifistas e não valorizam os bens materiais ao ponto de evitar ladrões. Porém, nasceu Pessoa com suas várias personalidades e ideias. Pessoa cismou em ter um heterônimo policial. Sentou-se sobre a bolsa da mamãe e a guardou de qualquer um que quisesse encostar: veio a faxineira e tomou um arranhão, veio papai e tomou uma mordida, veio a própria mamãe e tomou uma mijada. Todos tentavam explicar para ela que não precisava protegê-la deles, mas só dos ladrões, mas Pessoas insistia em afirmar que sua segurança é mais segura do que de qualquer cão, pois nem os donos do objeto podem roubá-lo para si. Mamãe estava até agora esperando Pessoa dormir pra pegar a bolsa, mas Pessoa dormiu dentro da bolsa e toda vez que tocam nela, ela acorda e mia como se fosse uma sirene e se diz capaz de arrancar as mãos de qualquer ladrãozinho que tente pegá-la, por mais que seja da família.

Ass.: Borges, o gato – @borgesogato

 

963

964

4 comentários em “Gata policial

  1. Aiaiaiai Borrges, fiquei com medo da Pessoa… o olhar dela afasta qualquer um… (mas continua muuuito linda).

Deixar uma resposta para Jaqueline Cancelar resposta