369

Macacos me mordam, eu não quero ser rei

Fãs,

Subi no sofá da sala e lá estava ele: pulava, pulava, pulava, pulava incansavelmente na sua cama elástica que estava ligada de uma ponta da igreja à outra. Fiquei espantado, confesso. Arregalei meus olhos e olhei aquela espécie de gato hiperativo.

– Quem é você? – perguntei.

– Sou seu bobo da corte, majestade! – respondeu.

– Majestade?

– Sim, você não é o famoso Borges, o gato?

– Sou! E daí?

– Sou seu súdito, vou saltar até vê-lo sorrir.

– Mas há algum engano, eu nunca fui rei, não pretendo ser rei e não quero ter bobos da corte.

– Pois agora já era, majestade. Eu sou seu bobo da corte! Vou ficar aqui pulando, pulando, pulando para vê-lo feliz.

– Quem disse a você que eu era eu?

– O gato amarelo!

– Ah… aquele da rua. Pois ele informou errado, eu não sou rei.

– Só um rei bondoso de verdade tem tanta humildade para negar que é um rei!

– Mas eu não sou!

– Sei… sei… Iuuuupiiii… iupiii…. ficarei aqui saltando!

Virei de costas e fui embora. Bobos da corte não me alegram, não consigo ter alegria em nada que se autointitula bobo e engraçado.

Ass.: Borges, o gato – @borgesogato

 

 

369
Observando aquele gato hiprativo

 

370
Quando fui embora, o bobo da corte ficou algo decepcionado

7 comentários em “Macacos me mordam, eu não quero ser rei

  1. Borginho, q lugar lindo vcs foram morar!
    Este bobo deve ser parente do macaco Alegria, será q não?
    Bjs a todos, em especial pra minha diva gorducha.

Deixar uma resposta para Joana Cancelar resposta