O caso Mario Grey – com a palavra a acusação

Fãs,

Antes de escrever, lamento. Mas as imagens por si só não mentem. Bem me disseram que ele era como a Fera da Bela e a Fera, vivia em um castelo mas tinha hábitos selvagens, nunca se sentava para jantar, preferia caçar com os bichos.

000000000000000

Uma família! Que mais dizer? Uma família com sua vida ceifada pelas garras do predador!

Oh, céus, de que adianta a evolução se continuarmos nos portando assim!

000000000000000

Comportamento obsessivo:

todo dia ele ficava fixamente olhando-os

esperando que saíssem para passear ou a escola.

00000000000000

Dou por encerrado aqui minha argumentação,

sabendo que não há maior argumento que a violência das imagens.

Advogado de acusação: Borges, o gato

Amanhã, com a palavra, a defesa, aguardem!

Prova 1: violência, atrocidade, morte
Grey pego em flagrante cometendo crime de assassinato e tentando ocultar o cadáver ao engoli-lo

19 comentários em “O caso Mario Grey – com a palavra a acusação

  1. Vai me dizer que não gosta de passarinho, Borginho! Se não gosta é pq nunca experimentou! rsrs Mas entendo sua revolta, dá dó de ver.

  2. Que feio Mario Grey! Um gato com ração farta a tempo e a hora, não precisa disso (é o que eu falo com os meus, quando os flagro caçando qualquer tipo de bichinho ou inseto). Os passarinhos também têm família, né?

  3. Tudo montagem! Voces acham que o Borges só faz sucesso na Internet por ser um gato alfabetizado? Ele e familiarizado com as ferramentas de Informatica. A pose da segunda foto ele sempre faz quando ta com a cara na tigela de ração.

  4. Que feio isso!!! Lá em casa aconteceu um crime igual a esse, a pena da meliante foi ficar com uma coleira que tinha um sininho. Toda vez que ela corria o sininho fazi barulho, depois da pena ter sido aplicada ela nunca mais cometeu esse tipo de crime. Fica a dica de pnea para o Grey. Bjsss Borginho

    • Nossa, adorei a dica.
      Tenho dois meliantes que precisam de uma pena dessa.
      Valeu pela dica….. Stallone e Beyonce, aguardem que mamãe vai providenciar o cumprimento da pena.

      bjs

  5. O caso em questão do Sr. Mário Gray não é nada comparado a vida de serial killer da minha Belinha. Com três meses ela pegou a primira pomba (aquelas cinza, as rolinhas, que são maiores que pardal). Hoje ela está com 2 anos e já conta com um histórico de 18 pombas assassinadas em seu currículo. E ai como fica???? Tenho as provas de alguns crimes, muitas penas espalhadas.

  6. Ai que triste!
    As minhas panteras já fizeram isso algumas (várias) vezes. Elas são viciadas em passarinho. Eu as coloquei em tratamento de desintoxicação, elas sofreram nos períodos de abstinência e tiveram recaídas. Mas agora, devido a falta dessa droga na região, já que elas exterminaram todas, elas foram obrigadas a ficar sem.
    Não podíamos mais deixá-las na varanda sem supervisão. Os passarinhos, que sempre foram bem-vindos em casa, com frutinhas e alpiste à disposição, agora tiveram de ser enxotados. Caso descumprissem essa determinação, a pena era a de morte.

  7. Já tive 2 casos desses em casa. Na segunda vez, o meliante também foi condenado por ocultação de cadáver… Muito triste… Mas como era réu primário, cumpre pena em regime aberto.
    Mas, aqui enter nós, os passarinhos que atravessaram a rede da varanda prá conversar com 4 gatinhos desconhecidos mereceram o prêmio Darwin!

  8. Borginho.. A minha Jujuba sempre faz isso.
    Eu sempre digo para ele: “Filha, não pode caçar passarinho, agora a mamãe dele tá lá chorando, coitadinha”.
    Mas não tem jeito, um dia, ela pulou a janela com um passarinho nenem na boca piando… pobrezinho!

Deixar um comentário