170

O matador

Fãs,

Christie olhava de cabeça torta pela varanda. Ouvia gritos que vinham da casa ao lado. Resolveu ela mesma me gritar:

– Borginhoooo, Borginhooooo!

– Que foi Christie?

– Há um assassino aqui!

– Onde? Onde? – me abaixei.

– Na casa ao lado.

– Como você sabe?

– Ouvi confessando o crime à sua mãe!

– Caramba! Precisamos ligar para a polícia!

– Vamos ouvir mais. – ela disse.

“Matei, matei, mãe! Me arrependo! Mas não voltarei a matar!”

– Christie, é muito grave. Precisamos ligar par a polícia.

E, então, fãs a mãe virou para ele e disse: “Não mate mesmo, filho. A escola é muito cara e se você continuar matando aulas vou te colocar num colégio público.”

Olhei para a Christie com a maior cara de descrédito do mundo e fui deitar, a caminho da cama ainda a ouvi dizer: “Borginho, precisamos descobrir quem é essa tal de Aula.”

Ass.: Borges, o gato – @borgesogato

170
Christie ouvindo conversa dos vizinhos
168
Christie e eu ouvindo sobre a matança
169
Decepcionado, fui embora

8 comentários em “O matador

  1. Kkkkkkkkkkkkkk… Christie é uma menina. Borginho, em vez de virar as costas, você precisa esclarecer as coisas para a Christinha, rs…

  2. Gostei: “Não escute a conversa dos vizinhos gatinho, seu humano está vendo!” ahahahahahaha…pior que parece mesmo que eles entendem tudo…. 😛

  3. kkkkkk, eu já estava pensando num crime que vcs iam denunciar, kkk pobre aula ninguém gosta mais dela!!!

Deixar uma resposta para loiva maria aires da silva Cancelar resposta