482

Órfã de mãe

Oi, amiguinhos… sou eu, a Christinha, mas hoje eu sou a gata triste e não a gata Christie.

Como vocês sabem (se não sabe clique aqui), eu tenho um pai que leva uma mãe pendurada no queixo e que o Borginho insiste em dizer que não é mamãe, mas apenas um cavanhaque. Pois então… estou muito triste pois minha mãe morreu. Agora sou órfã de mãe. Papai entrou no banheiro, eu miei, miei, miei, arranhei a porta e ele não quis abrir. Quando ele saiu, era outra pessoa! Olhei assustada, corri pela casa:

– Borginho, Borginho! Quem é aquele tio que saiu do Banheiro?

– É nosso pai, oras!

– É nada, meu pai não tem essa cara de bocó.

– Não tinha porque escondia embaixo da barba.

– Ai, Borginho, não me diz que essa coisa é meu pai… não pode ser.

– Mas é!

– E minha mãe?

– Tá trabalhando oras.

– Não, digo a outra mãe, a que ele levava pendurada no queixo.

– Aaaah, pelo visto morreu!

– Morreu?

– Morreu, foi ralo a baixo.

– Ai, Borginho. Que triste!

Aí, amiguinhos, papai me pegou no colo e mesmo depois de todo mal que me fez, ainda queria ganhar beijinho. Mas eu só conseguia lhe olhar com a minha cara mais triste e dizer:

– Papai, eu não queria ficar órfã tão cedo.

– Ai, Christie, fica tranquila daqui a um tempo sua mamãe ressuscita, pode deixar.

Ass.: A gata Christie

481
Assustada quando entrei no banheiro e vi que papai era outro.
482
Papai querendo ganhar beijinho, mesmo depois de assassinar minha mãe! NÃO DEI!

4 comentários em “Órfã de mãe

  1. kkkk, coitado do pai de vcs, ele não tem cara de bocó!!kkkk

    Calma Chris, acho que sua mamãe já está ressuscitando =)

Deixar uma resposta para Ethel Marchezini Cancelar resposta