433

Quando o ar quente desce

Olá, fãs!

Papai, quando ligava o ar-condicionado, sempre me dizia: “Borginho, você vai ser beneficiado!” Eu perguntava “por quê, pai?”, “É que como você é baixinho, vai ficar mais geladinho aí no chão” E eu fazia cara de quem não entendia e ele completava: “É que o ar quente, sobe; e o ar frio, desce!”

Tenho constatado que quando se trata de comida, este conceito se inverte. Mamãe bota aquele frangão sobre a mesa e o ar quente dele rapidinho desce para o meu nariz. Bife: ar quente desce. Peixe frito: ar quente desce. Deliciosas coxas de frango: ar quente desce. Já o ar frio: do refrigerante, do suco, do refresco… sobe que nem sinto. Então, acabo de adicionar um novo dado à ciência: O ar quente sobe, exceto quando é um ar quente cheiroso de comida.

Ass.: Borges, o gato – @borgesogato

433
Com ar quente descendo direto pelo meu nariz

3 comentários em “Quando o ar quente desce

  1. Borginho,
    Aqui em casa é o contrário.
    Moro no 4° e último andar, e raramente cozinho.
    Então, às vezes, sobe um ar quente cheiroso de comida… eu chego a pensar que o mundo vai acabar em um refogado de cebola e alho…
    😛

Deixar uma resposta para Paola Cancelar resposta