283

Rio seco

Fãs,

O Rio de Janeiro tem rio no nome, mas anda em tempo de estiagem. Não chove e o rio não enche. Tá seco, já dá pra encontrar até carcaça de boi. Ou melhor, daria, se ainda existissem bois pelo Rio de Janeiro. Hoje, se encontram carcaças de carros, secos, pois não há água. Papai enche o balde, enche o pote, enche vasilhas. Papai migrou até a Baía de Guanabara e disputou as últimas conchas de água com umas senhoras idosas. Trouxe pra mim, mas eu não tomo. Só gosto de água viva, que cai da torneira. A torneira tando seca, eu não tomo. Já não há saliva pra tomar meu banho de língua, já não há lágrima pra chorar. Em Jacarepaguá os jacarés não sabem mais o que é água. Mas, hoje pela manhã, um fio de esperança escorreu pela torneira. Tomei tudo, uns 30 mililitros d’água e tô vivendo até o próximo milagre.

Ass.: Borges, o gato – @borgesogato

282
Até tento usar os bebedouros, mas não gosto
283
Pela manhã, um fio de esperança

 

9 comentários em “Rio seco

  1. Credo, meu amor, quanta secura! Eu te compreendo porque São Paulo se transformou em um forno aonde nós humanos e bichinhos nos tornamos parte de um prato celestial cozido lentamente. Aliás, cozidos não, melhor dizer defumados.
    Sim, porque a poluição nos envolve desidratando, secando, aumentando a sensação térmica e acabando com o pouco de bem estar que conseguimos sentir pelo tão esperado verão.

  2. Borginho,
    Dramááááááááááááááááááááááááááááááático!!!
    Adoro um drama!
    🙂

    • E vc fala que eu sou dramática, cara, olha esse texto!!
      kkkkk, Borges ganhou o Oscar de ator mais dramático, sem dúvidas!!!
      kkk

Deixar um comentário