89

Sob tortura

Fãs,

Eu caminhava rápido pela sombra no canto do quarto. Ocultei-me debaixo da cama. Coloquei a cabeça pra fora. Olhei para um lado. Olhei para o outro. Ninguém. Corri até a grade da varanda. Estava muito exposto, poderiam me achar. Corri. Voltei para debaixo da cama. Saí. Fui para a pia. Pulei no interruptor, apaguei a luz. Tudo escuro. Tentei abrir a porta do armário. Não consegui. Ouvi passos na escada. Alguém se aproximava. A porta se abriu.Voltei para debaixo da cama. Ouvi passos no quarto. Acenderam a luz. Uma feminina mão entrou sob a cama, tateava tentando me achar. Fugi para um lado. Fugi para o outro. Mas fui pego. Me pegaram pela corcunda. Miei alto. Me arrastaram para fora da cama. Me colocaram sobre a cama. Começaram a tortura. “Para! Para! Para!” Gritei. “Eu confesso tudo, confesso! Fui eu que peguei o petisco da gaveta, mamãe!” Mamãe parou de fazer cosquinhas na minha barriga e eu pude voltar a respirar.

Ass.: Borges, o gato – @borgesogato

89

7 comentários em “Sob tortura

  1. Hahaha… que lindo, meu Jordan é submetido a torturas, do ponto de vista dele, e eu nem havia me dado conta, rs… é o preço da fofura, seu Algodonildo!

Deixar uma resposta para Paola Cancelar resposta