A mãe em meu pai

480

Olá, fãs!! Tudo bom? Sou euzinha, a Christie!

Borginho e eu hoje tivemos um debate muito polêmico! Borginho cismou que mamãe é só nossa mamãe e eu falei pra ele que papai tem muito de mamãe. Borginho discordou e disse que mamãe tem tudo de mamãe e que papai só tem coisas de papai. Eu falei que não que papai tem coisa de mamãe! E ele disse que não, que papai só tem coisas de papai. E assim ficamos por umas duas horas até que quando percebi eu tinha dormido. hihihi

Quando papai entrou no quarto falei para irritar meu irmão: Olha a mamãe aí!

E Borginho falou: Não é mamãe!

Mas eu reafirmei: É mamãe sim.

E ele quis me inquirir: O que ele tem de mamãe?

Olha o queixo dele: É igualzinho a minha mamãe felina, me faz lembrar quando eu era muuuuuuuuuuuuito bebezinha e mamava numas tetinhas peludas e pretas.

– Você tá chamando o cavanhaque dele de mamãe?

– Não é cavanhaque, é a minha mamãe, é assim que eu chamo. Dá licença?

– E o que adianta ter uma mãe que é um cavanhaque? – quis Borginho me pegar de novo.

– Vou te mostrar. – Falei pra ele.

Subi até o queixo do papai e fiquei ali mamando naquela gata peluda que meu ele leva adormecida debaixo da boca. Ela tem pelos pretos e grandes, parece comigo, é quente e tem o sabor de tudo que papai deixa escorrer pela barba na hora do almoço. Gosto quando ele toma sopa de ervilha, a minha mamãe fica salgadinha e posso me distrair com ela a tarde toda antes de dormir.

Ass.: A gata Christie

480