104

Uma biografia desinteressante

Fãs,

E os humanos brigam por biografias. Uns querem liberdade incondicional, outros querem que se as publique só com autorização. Pois não haveria este problema comigo. Minha biografia é tão desinteressante que seria insuportável um humano lê-la. Fico imaginando o livro:

“No dia 14 de julho de 2013 Borges, o gato, acordou por volta das seis da manhã. Depois que seus pais foram ao trabalho, arranhou a porta e comeu um bocado de ração. Voltou a dormir por volta das 9 horas. Às 10:30 acordou novamente, foi até sua areia, abriu um buraco e defecou. Após aliviar seu ventre, enterrou devidamente suas fezes.”

Essa rotina se repetiria incontavelmente, do primeiro dia que cheguei à minha nova família até o último dia, quando vou morrer. E não preciso pedir censura, ajuste, nada, pois a verdadeira biografia da minha vida é essa. Claro que, para ganhar algum dinheiro e vender algum livro, provavelmente o biógrafo terá que se aventurar por memórias inventadas, apimentar a história dizendo que tive alguns casos fortuitos com umas 10 ou 32 gatas e que talvez tenha sido pai de alguns gatos brancos que estão perdidos por aí e que a castração não passou de um embuste. Talvez ele fosse um biógrafo mais naturalista e preferisse dar um tom mais sórdido ao meu cotidiano, contando que lambo meu próprio anus algumas vezes por dia ou que já tive meu rabo algumas vezes cheirado por minha irmã. O fato é que os episódios naturalistas logo enjoariam o leitor, pois não há grande variação deles. Já as memórias inventadas cairiam em descrédito pela falta de verossimilhança.

Talvez o ideal mesmo seja eu próprio inventar minhas memórias. Não contarei que durmo 16 horas por dia, pois os humanos não gostam de protagonistas dorminhocos. Acho que  inventaria que atravessei vales e escalei montanhas, enfrentei assassinos, salvei vidas e lutei por minha própria comida. Não seria a biografia verdadeira, mas seria a verdadeira biografia de Borges, o gato. Todos olhariam e falariam: Que grande livro! Que vida! Como viveu bem esta vida este gatinho, espero ler logo os outros seis livros que faltam.

Ass.: Borges, o gato – @borgesogato

104
Uma leitura da minha desinteressante biografia. Contam que ela parou na terceira linha e nunca mais leu.

10 comentários em “Uma biografia desinteressante

  1. Ai que mentira, Borginho!!!!!
    Vc tem casos interessantíssimos para contar, como no dia em que foi na maior emissora de TV do país e fez FUUUUUUUUUUUUZZZZZZZZZZZZZZZZ em rede nacional!!!
    Vc está é esquecido… Mal da idade… rs
    😛

    • kkkkkk, malda idade é?Coitado!!!

      Mas eu ia AMAR uma biografia do Borginho e outra coisa que ele está se esquecendo foi da chagada de sua irmã, que para mim são os posts mais engraçados e gostosos de ler!

  2. pois eu gosto tanto de observar vcs, gatunos, que com certeza acharia bem interessante tudo e qualquer coisa vinda de vc, Borginho lindo 😉

Deixar uma resposta para Rita Barreto Cancelar resposta