396

Utopia borgiana

Fãs,

Minha mãe conta que há coisas  que não sabe se aconteceram de verdade ou se foi um sonho. Meu pai disse que uma vez sonhou que tinha sobrevivido a um grave acidente de carro, mas que o sonho foi tão real que ele pensou, durante dias, ser, de fato, um sobrevivente. Pela manhã, andei por sobre livros infinitos, milhares. Como a casa dos doces de João e Maria, só que de palavras. Passeei sobre eles e lhes contei a minha história. Eles ouviam atentamente e tinham tanto a me dizer, mas não diziam.

Quando acordei ao meio dia, não sabia se eu de fato tinha andado sobre livros ou se era sonho. Se é que há alguma diferença.

Ass.: Borges, o gato – @borgesogato

393

394

 

396

395

397

7 comentários em “Utopia borgiana

  1. Borginho, vc podia montar um concurso com as bibliotecas dos donos e seus gatos… Eu seria a primeira a participar! AMo livros e amo gatos!

  2. Pai eterno! Boa sorte com a arrumação… Voltando ao post: Borginho, ler é sonhar, imaginar, viajar… Andar sobre livros – hummm – um sonho!

Deixar uma resposta para Ethel Marchezini Cancelar resposta