406

Vou pra lua

Olá, amiguinhos, tudo bom? Aqui é a Christie!

Borginho anda agitado de um lado pro outro da casa. Ele morre de medo de bombas, vive repetindo assim: “sabia que isso não ia dar certo, sabia…” Eu quero animá-lo, então fui plantar pra ele. Como a gente não tem terra, resolvi plantar na areia mesmo. Peguei a pazinha, cavei um buraco e coloquei uns grãozinhos de ração como se fossem sementes. Exato, grãos de ração, pois pra que vou querer grãos de feijão? Eu não como feijão! A ração vai crescer que nem na história do João, vai quebrar o teto, furar as redes de proteção e chegar aos céus! Borginho e eu subiremos pra lua. Borginho me contou uma vez que na lua não tem desigualdade, não tem violência, não tem ódio. Ele disse que é porque não tem gente. Que coincidência, né? Plantei e depois gritei chamando o Borginho: “Irmão, agora é só você irrigar com seu xixi! #VemPraLua!

Ass.: A gata Christie

407
Primeiro se cava um buraquinho
406
Depois se coloca os grãozinhos de ração.
408
Pronto, agora é só irrigar e esperar crescer.

4 comentários em “Vou pra lua

  1. Christie….
    Vc devia ter plantado petiscos!!!!!!!!!
    É muito mais gostoso!!!
    E o pé de petisco é muuuuuuuiiiiiiitttttoooooooo maior, mais alto e mais bonito!!!
    Ia chegar até Plutão, e não só até a Lua…
    Vai lá que ainda dá tempo!!!
    Sua Linda!!!
    😉

  2. Christinha, sua fofa… amo os seus textos, amooo!!!
    Sabe o que vai crescer? Muito mais amor entre vocês, certeza!
    Lambeijinhos!!!

Deixar uma resposta para Ethel Marchezini Cancelar resposta